LOGIN

Com uma rede social

ou

CADASTRO

Com uma rede social

ou


ESQUECI MINHA SENHA

Digite seu e-mail cadastrado no sistema:

RESULTADO DE PESQUISA RESULTADO DE PESQUISA


CEO com Propósito: empreendedores focados em mudar o mundo

 

Ideia Sustentável 24.10.17

Uma reunião de 19 líderes, orientados por 17 objetivos de desenvolvimento sustentável e com apenas um propósito: mudar o mundo. Esse foi o tom do CEO com Propósito, o mais novo evento da Plataforma Liderança Sustentável, que aconteceu em São Paulo, no dia 24 de outubro, no Teatro Vivo.

Nove empresas patrocinadoras da Plataforma (Santander, Braskem, Itaú, Ultragaz, Coca-Cola, Duratex, Vivo, AES e Ambev) e a aceleradora Artemisia indicaram, cada uma, três líderes de negócios sustentáveis. Coube à consultoria Ideia Sustentável fazer uma seleção final, definindo um empreendedor indicado por cada empresa para subir ao palco. Esta seleção foi feita com base em cinco critérios específicos: 1- Conexão com o negócio (a empresa indicada deve fazer parte do ecossistema de relações da empresa patrocinadora); 2- Contribuição aos ODS (seus produtos/serviços devem oferecer uma solução para algum problema ligado à insustentabilidade do planeta); 3- Resultados (precisa estar operando no mercado e apresentar impactos econômicos, sociais e ambientais contabilizados); 4- Inovação (não deve ter mais do que cinco anos de mercado e propor algum tipo processo, tecnologia, metodologia, abordagem ou modelo de negócio sustentável e inovador); e 5- Negócios com Valores (a empresa indicada deve ser administrada por um líder empreendedor, inovador, guiado por um propósito – um incômodo, uma indignação, um sentimento de solidariedade ou um senso de oportunidade – que exceda o bottom line, pois tão importante quanto o resultado a ser atingido pela empresa é a qualidade inspiracional da narrativa do seu líder).

Eduardo Navarro e Helio Katanosaka – Vivo e Reglare

O evento começou com o depoimento de Eduardo Navarro, presidente executivo da Telefônica Brasil, que passou 13 anos fora do Brasil e voltou surpreso com a carência de lideranças no país. Ao acreditar que o setor empresarial tem papel fundamental na formação de novos líderes, Eduardo percebeu que a transformação dos valores e processos de uma empresa não pode acontecer, apenas, internamente. Portanto, é preciso comunicar e criar novas parcerias.

E uma parceria que acabou destacada durante o evento foi a da Vivo com a Reglare, de Helio Katanosaka. O executivo subiu ao palco para contar um pouco sobre a criação do 156 digital, o serviço de informações das prefeituras. A Reglare percebeu que nem todas as cidades tinham condições de manter um call center para esse atendimento. Assim, criou um sistema de busca de informações nas redes sociais dos cidadãos, e, após gerenciamento dos dados, envia os principais resultados para as secretárias responsáveis e prefeituras de cada cidade, auxiliando no gerenciamento de recursos e logística. Ao final de seu depoimento, Helio ofereceu uma dica aos novos empreendedores: “sonhe, corra atrás! Mas, prepare-se, pois a caminhada não é fácil. Nessa trajetória, preste atenção ao respeito e responsabilidade com os colaboradores. Trate-os como família”.

Antonio Joaquim de Oliveira e Guilherme Brammer – Duratex e Boomera

Em seguida, foi a vez de Ricardo Voltolini chamar Antonio Joaquim de Oliveira, CEO da Duratex. O integrante da Plataforma Liderança Sustentável contou que ele e sua equipe sentiram-se desafiados ao escolher uma empresa adequada para falar no CEO com Propósito. No entanto, resolveram selecionar uma que tratasse da questão da gestão e destinação de resíduos, uma vez que, em cinco anos, a Duratex reduziu em 50% a destinação de resíduos para aterros e ainda pretende reduzir mais 20% nos próximos três anos.

Assim, Antonio Joaquim apresentou Guilherme Brammer, CEO e Fundador da Boomera. Mostrando-se à vontade na frente de 300 pessoas, o líder da start-up contou que o gatilho de seu empreendedorismo aconteceu quando viu seu sogro, com câncer, trablhando e feliz. Foi então que Guilherme entendeu que precisava trabalhar e viver amando o que faz, encontrando dentro dele mesmo o que precisava ser feito. Ao criar a Boomera, empresa especializada na transformação de resíduos em novos produtos, o líder sempre quis – e ainda quer – entregar soluções para um novo mundo. E acredita poder fazer isso com pessoas apaixonadas pelo que fazem: “o importante é conseguir transformar a forma de pensar das pessoas”.

Pedro Massa e Mariana Vasconcelos – Coca-Cola Brasil e Agrosmart

Pedro Massa, diretor de Valor Compartilhado da Coca-Cola, foi o terceiro executivo a apresentar um case no evento. Focado em projetos para diminuição de gastos e reúso da água utilizada em processos, Pedro introduziu uma empresa voltada para soluções no setor da agricultura, com o gerenciamento de recursos e soluções para agricultoras. Afinal, segundo o executivo, 70% do uso da água vem da agricultura.

Mariana Vasconcelos, Fundadora e CEO da Agrosmart, foi escolhida pela Coca-Cola para apresentar seu case no evento. Motivada pela dificuldade encontrada por seu pai para gerenciar a produção e os recursos no campo, Mariana encontrou uma vontade de auxiliar os agricultores a se conectarem às suas plantações. Assim, criou um sistema de monitoramento, que permitiu otimizar processos, e reduzir o desperdício de água e energia, que foi melhorado com o auxílio da Coca-Cola, para que pudesse ser utilizado por pequenos, médios e grandes agricultores. Ainda ao final de seu depoimento, ofereceu alguns caminhos para novos empreendedores: “descubra sua motivação e encontre seu propósito. Depois, foque no problema, não na tecnologia, pois esta fica obsoleta com o tempo. Por fim, pense grande e em impactar muita gente”.

Inovação 2030

Após a palestra de Mariana, Ricardo Voltolini apresentou a nova parceria envolvendo Ideia Sustentável e Envolverde, o Inovação 2030. “Trata-se de uma parceria entre amigos com o mesmo propósito”. O objetivo é juntar a expertise de gestão, proporcionada pela consultoria Ideia Sustentável, e comunicação, feita pela Envolverde, para acelerar os ODS no Brasil. Mais informações virão nos próximos meses.

Marcelo Arantes e Carolina Fagundes – Braskem e ColOFF

No segundo bloco de palestras, Marcelo Arantes, vice-presidente de Pessoas, Comunicação, Marketing e Desenvolvimento Sustentável da Braskem, reafirmou seu compromisso pessoal e o da empresa de acreditar muito em inovação e sustentabilidade caminhando juntas. Assim, ao realizar o Braskem Labs, preocupam-se em encontrar empresas que visam melhorar a vida no planeta. Foi por isso que a Braskem indicou Carolina Fagundes, da ColOFF, empresa especializada na produção de kits coletores para exames de fezes.

Emocionando boa parte do público presente no evento, Carolina explicou sua motivação para criar seu negócio, uma vez que queria proporcionar uma melhor qualidade de vida à sua mãe, na época, enfrentando uma terrível batalha contra um tumor colorretal. Ao criar sua empresa, Carolina utiliza o Plástico Verde em seu material, que captura parte do CO2 emitido na produção do revestimento. Como opção barata, o produto proporciona maior comodidade para pacientes que precisam realizar coletas laboratoriais. Para Carolina, o Brasil e o mundo precisam respirar sustentabilidade e, quando se tem uma ideia, é preciso olhar para os lados, reconhecer recursos e entender que se pode fazer muito com muito pouco.

Luiz Rielli e Lucas Coelho – AES Brasil e Newatt

Luiz Rielli, gerente de Sustentabilidade da AES Brasil, falou sobre as funções básicas que um ser humano precisa. Dentre elas, claro, a produção de energia elétrica. Foi assim que ele apresentou um grupo de jovens mineiros com a intenção de buscar uma solução democrática para a distribuição de energia para todos.

Representada por Lucas Coelho, Cofundador, a Newatt procura resolver problemas que as pessoas geralmente não prestam atenção. No caso, ao receber contas de luz, elas não sabem o que estão pagando. Para isso, criaram sensores que conseguem detalhar os gastos e oferecem status dos equipamentos. Isso empodera clientes. Ainda segundo Lucas, para ser um empreendedor, uma pessoa vai ouvir diversos “não” ao longo de sua vida, mas o importante é manter o foco e acreditar em seu time e na solução oferecida.

Aurelio Ferreira e Fernando Assad – Ultragaz e Vivenda

Aurelio Ferreira, diretor de Desenvolvimento da Ultragaz, ressaltou os 80 anos de atuação da companhia no Brasil, com a preocupação em melhorar a qualidade de vida das pessoas. Como exemplo, citou a época em que começaram a substituir a lenha pelo GLP nas cozinhas brasileiras. Ao selecionar os cases, escolheram a Vivenda por uma sinergia entre os modos operacionais das empresas.

Fernando Assad, fundador da Vivenda, contou que a Ideia da criar a empresa começou em um programa de urbanização de favelas, quando ele percebeu a experiência do morador ao sair para trabalhar e encontrar ruas asfaltadas e casas bem estruturadas, mas, quando voltava para casa, encontrava ruas de terra, buracos e casas destruídas. O pior de tudo era saber que as políticas públicas consideravam a pessoa atendida enquanto o cidadão continuava com uma moradia inadequada.

Foi assim que a Vivenda criou modelos de negócio para auxiliar na reforma de casas e construções nas favelas, oferecendo condições de pagamento facilitadas e resolvendo alguns dos problemas de moradia encontrados por seus moradores. Segundo Fernando, a Vivenda já realizou cerca de 700 reformas e o objetivo é aumentar esse número cada vez mais.

Denise Hills e Ana Fontes – Itaú e Rede Mulher Empreendedora

Em seguida, Denise Hills, superintendente de Sustentabilidade e Negócios Inclusivos do Itaú-Unibanco, subiu ao palco e começou com uma frase de impacto: “existem dois dias importantes na vida. O dia em que você nasce e o dia em que você descobre o porque”. Com essa afirmação, Denise explicou que o Itaú precisava entender como funciona o mundo em rede, mas que operavam de uma forma que considerava todos os clientes como se fossem iguais. Assim, precisando entender como tratar o segmento das mulheres, o banco fez uma parceria com Ana Fontes, da Rede Mulher Empreendedora.

Após 17 anos como funcionária da Volkswagen, Ana resolveu sair e trabalhar em casa. Participou do programa 10000 mulheres, realizado pela FGV, no qual apenas 35 mulheres empreendedoras foram selecionadas para participar.
Ao invés de ficar feliz, a executiva passou dias extremamente preocupada com a situação das mulheres que não tiveram a mesma sorte. Assim, resolveu criar um blog, no qual compartilhou suas experiências do curso com suas inscritas. No entanto, para sua surpresa, conseguiu 10 mil inscritas em três meses, 50 mil em seis meses. Resolveu deixar outros projetos de lado para dedicar seu tempo à RME. Hoje, ajuda mulheres empreendedoras a conseguirem sua independência financeira e de decisão sobre seus negócios e suas vidas. Segundo Ana, quando uma mulher ganha dinheiro, investe em melhorar a educação dos filhos e melhorar as condições de sua família. Essa é a motivação por trás da RME.

Surya Mendonça – Santander e EBES Energia

Ricardo Voltolini apresentou Surya Mendonça, da EBES Energia, empresa parceira do Banco Santander. O objetivo de Surya sempre foi democratizar o acesso à energia, mas sua motivação era gerar impacto. Para isso, a EBES trabalha com a captação de energia solar, fazendo com que as pessoas possam gerar sua própria energia através do sol.

Carla Crippa e Luciano Gurgel – Ambev e Yunus Brasil

Carla Crippa, gerente de Sustentabilidade da Ambev, falou sobre a parceria com a Yunus Brasil. No caso, a Yunus realizou um evento e convidou a Ambev para participar de projetos em que o lucro seria revertido para projetos socioambientais. Mas como convencer os principais executivos da empresa?
Segundo a Yunus, uma empresa não pode pensar apenas em impacto econômico, mas também nos impactos ambientais e sociais. Dessa forma, criaram a AMA, uma garrafa de água mineral em que todo o lucro do produto vai para um projeto social que aumenta o acesso à água potável no sertão do Brasil.

Luciano Gurgel, representante da Yunus no Brasil, afirmou que os negócios são ferramentas sociais importantes, e que uma empresa não pode viver visando, apenas, o retorno aos acionistas. Para isso, é preciso incorporar valores como sustentabilidade, perpetuidade e papel social nos negócios.

Flora Bracco e Adriana Barbosa – Artemisia e Feira Preta

A última empresa a apresentar seu case foi a Artemisia, representada por Flora Bracco. A artemisia é uma aceleradora que acredita que o empreendedorismo faz parte da solução. Já apoiaram mais de 300 iniciativas e tiveram mais de 100 negócios acelerados.

Adriana Barbosa, do Instituto Feira Preta, é uma das 51 negras mais influentes do mundo. Apoiada pela Artemisia, a líder tem foco no desenvolvimento econômico, trazendo a questão da diversidade para o contexto econômico do país e fazer com que a população negra possa se emancipar financeiramente. Segundo Adriana, grande parte das empreendedoras da feira são mulheres com boa escolaridade, assim como parte dos empreendedores são jovens negros.

Haroldo Machado

Já no encerramento, o evento contou com uma palestra de Haroldo Machado, Assessor Sênior do PNUD, que realizou uma palestra explicando a importância da interdependência entre os ODS, assim como a necessidade de não deixar ninguém de fora, trazendo os excluídos para frente e comunicando as ações de desenvolvimento e sustentabilidade.

Encerradas as palestras, aconteceu a entrega do prêmio Sabiá Laranjeira para todos os empreendedores que palestraram no evento. Além disso, uma surpresa especial. Elisa Prado, diretora da Tv1, entregou uma premiação para Ricardo Voltolini, idealizador do evento, por tudo o que já fez a serviço da sustentabilidade empresarial. Depois, o diretor-presidente da Ideia Sustentável lançou o livro Líder 2030 Talks, que conta as histórias de como 12 executivos inseriram a sustentabilidade na gestão dos negócios.